Sobre

Metacognição

O termo metacognição foi introduzido na literatura a princípios dos anos 70 por Flavell (1971), que define inicialmente a metacognição como o conhecimento que se adquire a partir dos conteúdos e dos processos da memória. Posteriormente, em 1999, admitirá que existem outros aspectos da mente humana, além da memória, que contribuem ao conhecimento, como por exemplo, a aprendizagem, a atenção, a linguagem, etc.

Flavell mostra que as condições que têm as crianças de estimar corretamente quantos itens vão lembrar (estimação de sua própria capacidade de memória) melhora com a idade; assim como a possibilidade que têm de controlar seu tempo de estudo para lembrar uma lista de palavras também melhora com a idade, indicando que as crianças tendem a terminar o estudo da lista muito antes que sejam capazes de recordá-la. Este exemplo denota que os estudos sobre a meta-memória introduziram uma distinção importante que logo se consolidaria nos estudos sobre metacognição.

O que é cognitivo e o que é metacognitivo?

Comecemos pensando em cima do seguinte exemplo: antes de resolver um determinado problema, o fato de analisarmos de forma consciente o seu enunciado para sabermos se devemos multiplicar ou dividir para chegar a busca da incógnita, é uma clara demonstração de atividade metacognitiva, enquanto que o procedimento empregado para buscar a incógnita (aplicação da operação de dividir ou multiplicar) constitui a atividade cognitiva.

Podemos então afirmar, como a maioria dos estudiosos deste tema, que o termo metacognição se pode aplicar, de forma geral, aos conhecimentos que as pessoas têm sobre a cognição, enquanto estão resolvendo uma determinada tarefa. O que nos interessa é analisar a relação entre os conhecimentos do sujeito e a resolução efetiva da tarefa, e/ou também analisar a relação entre a forma de regular a própria atividade e a resolução dada a ela. Em ambas as situações, os conhecimentos e as atividades metacognitivas se referem à cognição do mesmo sujeito e não a cognição em geral (teoria da mente) ou a cognição de outras pessoas.

O estudo sobre metacognição é sem dúvida um dos caminhos para que a pessoa conheça suas capacidades e limitações com o objetivo de obter melhores resultados no seu processo de aprendizagem.